Banner

 

Armazenamento, transporte e plantio

 

Transporte

     O transporte de mudas para locais onde a duração da viagem é superior a 4 horas deve ser feito em caminhão frigorifico, em temperaturas não superiores a 6ºC. Para longos percursos é conveniente a aeração das mudas a cada 10-12 horas.
     Para o transporte em caminhão não frigorifico, a cada período de 12 horas as mudas devem ser molhadas abundantemente, mas sem pressão excessiva para não danificar as raízes, bem como deve ser permitido a troca de ar próximo das plantas. As plantas devem ser protegidas do contato direto com a lona, pois podem sofrer queimaduras ocasionadas pelo sol. Havendo necessidade de paradas, o caminhão deve ser estacionado na sombra. Lembrando que o ideal é transportar as mudas em caminhão frigorífico.

Armazenagem à sombra

     As mudas no destino podem ser armazenadas à sombra, por 1-2 dias, em pé, com as raízes cobertas com areia lavada ou, em maior segurança, com serragem fresca e úmida de pinus de toras não tratadas quimicamente, livres de outros resíduos orgânicos, e em condições de boa drenagem. As mudas devem ser umedecidas frequentemente com água limpa.

Atenção: Mudas jamais devem ser armazenadas em açudes, rios ou qualquer outro tipo de imersão em água.


Armazenagem em camaras frias

 

     Mudas dormentes com raiz nua podem ser armazenadas em câmaras frias para serem plantadas posteriormente, simplesmente porque as condições de solo para plantio não estão prontas, ou ainda para quebra de dormência das gemas e melhor brotação após o plantio no campo, nas seguintes condições:

  • Temperatura
  1. Para armazenar o maior tempo possível: 1-3ºC
  2. Para melhor quebra de dormência: 4-6ºC. Temperaturas menores que 3ºC e/ou maiores que 6ºC tem pouco efeito na quebra de dormência (principalmente para variedades de macieiras e pereiras que precisam mais de 700 unidades de frio). Portanto estas temperaturas devem ser escolhidas para armazenamento de mudas para quebra-de-dormência.
  3. Caso a temperatura da câmara suba acima de 10ºC, ventile imediatamente. Mantenha a câmara aberta, ventilada, e umedecida, até que a temperatura possa ser novamente diminuída.
  4. É conveniente ventilar as câmaras 1-2 vezes por semana para a troca de ar.
  • Umidade da câmara
  1. Deve ser regulada para 95%.
  2. Falta de umidade é a maior causa de perda de mudas durante o armazenamento.
  3. Em câmaras que não possuem controle de umidade, as mudas devem ser acondicionadas com as raízes imersas em serragem nova, sem resíduos, ou molhadas frequentemente (a cada 1-3 dias) com mangueiras em abundância, com o excesso de agua sendo drenado.
  4. Verifique constantemente para qualquer indício de dissecação das mudas a fim de ajustar a umidade adequadamente.
  5. As mudas podem ser acondicionadas tanto em pé como deitadas.
  6. AS MUDAS NÃO PODEM JAMAIS FICAR IMERSAS OU EM CONTACTO DIRETO COM ÀGUA que está parada no assoalho da câmara.
  • Importante
  1. Não armazene mudas juntamente com frutas, solo ou outros produtos que exalem gases prejudiciais (etileno, produtos voláteis, corrosivos).
  2. Limpe e desinfete a câmara antes de colocar as mudas dentro. Ventile por alguns dias para não deixar resíduos dos produtos utilizados.
  3. Mantenha as mudas completamente drenadas do excesso de água.
  4. Coloque as mudas sobre estrado de madeira, de modo que o excesso de água seja evitado. As raízes ou ramos não podem ficar em contato com água parada (ou dentro de bins).
  5. Tenha certeza que as plantas mais em baixo da pilha também recebam água.
  • Quebra de Dormência das Gemas em Câmara Fria

     A falta de frigorificação das mudas pode reduzir drasticamente o crescimento das plantas, ou mesmo causar a morte delas pela falta de brotação. Tempo de frigorificação é mais crucial ainda para mudas pré-formadas. A seguir considerações importantes na armazenagem em câmara fria:

  1. Processo imprescindível para variedades de macieira com alta exigência em frio (Gala Real 2, Fuji Suprema e etc.), independentemente da localidade onde serão plantadas.
  2. É também muito importante para variedades de ameixa e pêssego de exigência em frio média/alta.
  3. Variedades com baixa exigência: CUIDADO: excesso de tempo armazenado promove brotação muito rápida e qualquer falta de agua mata a planta.
  4. A temperatura deverá ser mantida cerca de 4-6ºC, e alta umidade relativa, como recomendado inicialmente.
  5. Para variedades exigentes em frio de macieira e pereira, o tempo de câmara não deve ser inferior a 65 dias, e preferencialmente superior a 70-75 dias. Longo tempo de câmara é ainda mais crucial para mudas pré-formadas ou muito grandes.
  6. Em macieiras exigentes em frio os tratamentos de quebra de dormência das mudas com cianamida hidrogenada (1-2% do produto comercial) sem adição de óleo, aplicado, devem ser feito após a retirada das mudas da câmara para complementar a quebra de dormência. Aplicação de óleo mineral pode causar danos severos. 

 

Cuidados no plantio das mudas

  • Adubações: De uma maneira geral ADUBOS QUIMICOS E ESTERCO NÃO DEVEM SER COLOCADOS NA COVA ANTES DO PLANTIO. Podem dissecar e causar danos, ou mesmo matar as mudas. Nesta categoria incluem-se os adubos nitrogenados (uréia, sulfato de amônio, salitre do Chile, etc.); os potássicos (cloreto de potássio, sulfato de potássio, etc.); alguns micronutrientes se em grande quantidade (sulfato de zinco, etc); alguns fosfatos muito solúveis em grande concentração; e esterco. Para segurança, estes fertilizantes devem ser adicionados somente após o pegamento e brotação das mudas. Superfosfato simples, fosfatos naturais e calcário nas doses comumente utilizadas, não causam este tipo de problema.

  • Profundidade de plantio: Normalmente as mudas devem ser plantadas a profundidades próximas das que estavam no viveiro. Alguns cuidados especiais:

    1. Plante as mudas um pouco mais profundas, e ajuste a profundidade, puxando as mudas para cima, para evitar que raízes fiquem voltadas para cima.
    2. Macieiras com filtro de M.9 – o enterrio total do Maruba, bem como o enterrio de 5-7 cm do filtro (M9) diminui em grande intensidade a rebrota do cavalo Maruba nos anos subsequentes.
    3. Mudas de pereira e ameixeira COM FIILTRO – O FILTRO NÃO PODE EM HIPOTESE ALGUMA SER ENTERRADO.
  • Proteção das mudas contra altas temperaturas: Proteja a base das plantas com acículas ou capim seco. Corte de imediato a planta na altura desejada, e pinte o corte com tinta a base de látex.

  • Irrigação: Irrigação localizada, na base da planta não é suficiente em condições de ausência de chuvas em mudas pré-formadas, ou qualquer outro tipo de muda em condições de alta temperatura e baixa umidade. Somente irrigação frequente de toda a área de cobertura do pomar garante umidade uniforme do solo, e crescimento adequado das plantas. O produtor deve estar totalmente consciente deste fato. Uma alternativa mais simples, mas eficaz em situações críticas, é a rega localizada com 20-40 litros de água por planta. Repetir a irrigação sempre que necessário até o completo enraizamento da planta (normalmente 1-3 vezes por semana). Mudas pré-formadas exigem impreterivelmente irrigação total do solo ou chuva. Falta de água e altas temperaturas podem causar mortes severas. É aconselhável a proteção do colo da planta ou da própria muda com palha seca em cultivares de baixa exigência em frio e condições de alta temperatura.

  • Tipo de Muda x Falta d’água: Mudas pré-formadas são muito mais sensíveis a falta de água no plantio. Mudas pré-formadas de cultivares de baixa exigência em frio são mais sensíveis ainda. Falta de água e/ou altas temperaturas podem ser desastrosos na formação destes pomares. As variedades de macieira com baixa exigência em frio como Julieta, Princesa, Eva, etc.; bem como o porta-enxerto A9 de ameixeira, pessegueiro e nectarina; ou qualquer outra espécie com baixa exigência são extremamente sensíveis a falta d’água e altas temperaturas logo após o transplante.

  • Excesso de água: É conveniente lembrar que excesso de água (má drenagem) também é altamente prejudicial a planta.

  • Doenças de raízes: Em função dos cortes das raízes durante o processo de transplante, mudas são bastante susceptíveis ao ataque de organismos que causam podridões de raízes no primeiro ano. No viveiro as mudas recebem os primeiros tratamentos, que devem ser continuados de maneira adequada para cada espécie durante o primeiro ano.

  • Doenças da parte aérea: O arranquio, transporte, armazenamento e plantio das mudas é um processo que propicia stress e danos mecânicos na parte aérea e raízes. Estes danos são portas abertas para entrada de doenças. Evite ao máximo ocasionar ferimentos, tanto nas raízes como na parte aérea. É conveniente a aplicação de fungicidas que protejam contra o ataque de organismos que propiciam a formação de cancros logo após o plantio das mudas. Corte fora as raízes ou ramos danificados. É importante monitorar a população de ácaros após o plantio, visto que em função da frigorificação as mudas não recebem tratamento de óleo pós plantio. Falta d’água pode causar queimaduras no caule e servir de porta de entrada para microrganismos causadores de cancros. Proteja os cortes maiores com impermeabilizantes e/ou fungicidas.

Outras observações

  • Ameixeira sobre A9: A9 é um porta-enxerto desenvolvido pela Clone Viveiros para cultivo intensivo, altamente produtivo e, como qualquer outra planta, para produção intensiva necessita de cuidados especiais no manuseio da muda, principalmente em relação ao transplante. Este porta-enxerto não deve ser utilizado em solos altamente infestados por nematoides, ou com excesso de umidade.
  • Caqui: É uma espécie com grandes dificuldades de transplante. Necessita cuidados muito especiais para um pegamento e crescimento adequado das mudas. É aconselhável cortar as mudas imediatamente após o plantio cerca de 20-30 cm acima da enxertia, e a impermeabilização do corte. Irrigar com quantidade e frequentemente, mantendo boa umidade em todo o perfil do solo. Não adubar nas covas. Cobrir o solo com material inerte protetor. Providenciar sombra à muda com ajuda de capim seco. Manter somente uma gema em crescimento no primeiro ano. Elimine todas as demais. Inicie a formação de pernadas a partir do segundo ano. Irrigação localizada não é suficiente em condições de altas temperaturas e ausência de precipitação.
  • Kiwi: Cortar as plantas a 30-40 cm do solo para estimular crescimento vigoroso logo após o plantio. Cuidado: ocorrência de geadas severas após o plantio podem matar as plantas.
  • Maçã: É extremamente importante a frigorificação adequada das plantas (60 dias normalmente é o mínimo necessário para Gala e Fuji, 20-30 dias para Eva, Julieta, Princesa), seguida da aplicação de cianamida hidrogenada, para se ter um crescimento adequado e boa formação das plantas em variedades com alta exigência em frio. Aguarde o momento propício com boa umidade do solo para realizar o plantio das mudas.
  • Pessegueiro sobre Nano+ é extremamente sensível a falta ou excesso de água. Aguarde as melhores condições possíveis de humidade e temperatura para efetuar o plantio. Pode as plantas imediatamente após o plantio. Mantenha a humidade do solo, evite adubações precoces.
  • Condução em eixo central: Principalmente para maçã, ameixa e pera. O uso de anelamento sem remoção da casca, feito imediatamente antes do inchamento das gemas, melhora de maneira excepcional o crescimento de ramos laterais em plantios de mudas inteiras e cortadas mais altas que o convencional. A ramificação é estimulada cerca de 15-20 cm abaixo de cada anel, normalmente espaçados de 30-40cm, desde que as mudas tenham quebrado bem a dormência (naturalmente, ou que tenham sido adequadamente frigorificadas, seguidos da aplicação adicional de cianamida hidrogenada).

 

ATENÇÃO! O conteúdo deste site NÃO TEM FINALIDADE RECOMENDATIVA. Consulte seu Engenheiro Agrônomo local para escolher as melhores opções para as suas necessidades específicas.

 

Clone Viveiros & Fruticultura
CEP 83725-000 - Araucįria - PR